15 de fevereiro de 2015

De Mochila por Portugal - parte 4: Lisboa!

Setembro/2013

De Cascais, pegamos um trem bem cedo e fomos passar o dia em Lisboa. Nossa primeira parada foi para visitar a Torre de Belém e comer os famosos pasteis.
Torre de Belém - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
A Torre de Belém na verdade se chama "Torre de São Vicente", homenagem ao padroeiro da cidade de Lisboa. A construção da Torre, erguida nas margens do rio Tojo, teve início em 1514, sob o comando de D. Manoel I, tinha como finalidade, nada mais, nada menos, do que a defesa do porto. A construção foi concluída somente em 1520.


Ao longo do tempo, a Torre foi perdendo a sua função defensiva e passou a ser utilizada como registro aduaneiro, posto de sinalização telegráfico e farol. Não parou por ai, em 1580, durante o reinado de Felipe II da Espanha, as masmorras foram utilizadas como prisão política. Um pouco depois, João IV de Portugal também aproveitou a oportunidade com a mesma finalidade.
Torre de Belém - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
 Belém, Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues

A Torre de Belém também sofreu várias modificações na estrutura ao longo dos anos, até que em 1983 ela foi considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Atravessamos a grande avenida e fomos até a famosa Pastéis de Belém. Tivemos sorte, porque o lugar sempre tem uma fila gigantesca! Não preciso dizer que são bons, né? Mas gostei mais ainda de um outro café atravessando a rua, eles fazem pastéis de cerveja. Sim, vai cerveja na massa, mas você não sente e é uma delícia!!!
De Mochila Pela Europa - Viviane Rodrigues

Belém, Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues


Pastéis de Belém, pastéis de cerveja, guaraná antárctica, croquete... comemos tudo e seguimos então até o centro de Lisboa. 
Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodri

Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane RodriguesUtilizando um elevador público, subimos até o Castelo de São Jorge. O castelo proporciona uma bela vista da cidade!
Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
Castelo de São Jorge, Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
Construído por muçulmanos em meados do século XI, servia como defesa da elite que vivia na cidadela medieval. Após a conquista de Lisboa em 1147, por D. Afonso Henriques, o castelo foi adaptado para receber o rei. Reis foram aclamados no Castelo de São Jorge ao longo dos séculos XIV, XV e XVI.

Castelo de São Jorge, Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
Castelo de São Jorge, Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues


Castelo de São Jorge, Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues



Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
Com a integração de Portugal na Coroa da Espanha, de 1580 até o século XX, o castelo passa a ter características e funções militares.

Por causa da destruição na estrutura causado pelo terremoto de 1755, o castelo foi reconstruído quase por completo. Entre 1938 e 1940, passou por uma grande restauração, foi quando encontraram vestígios da construção medieval. No final do século XX, passa a ser Patrimônio Histórico.
Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
Hora de festa!! Parti com a Mariana para uma festa indiana, chamada Happy Holi Festival, que estava acontecendo naquele dia em Lisboa. Para uma pessoa que é confundida, quase que diariamente, com indianos, eu estava me sentindo em casa!

Nos divertimos muito com a festa! Espirrei arco-íris por um mês, mas valeu a pena!
Happy Holi Festival,Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues

Happy Holi Festival,Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
E assim, encerrei minha visita a Lisboa e a Mariana! Adorei visitar todos esses lugares com a minha mais nova amiga (desastrada como eu!). Obrigada por tudo Mari!!!
Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues
No outro dia parti com mala e cuia para Óbidos, conhecer o castelo que leva o título de uma das 7 maravilhas de Portugal!


Extra: - Crônicas de um Rinoceronte - 

Em 1514, Afonso de Albuquerque, fundador do Império Português no Oriente, quis construir uma fortaleza em Diu, cidade situada no reino de Cambaia, que era governada pelo rei Modafar. Afonso enviou uma solicitação a Modafar, autorizada pelo rei D. Manoel I, pedindo a autorização para construir a fortaleza. 

Lisboa, Portugal - De Mochila pela Europa! - Viviane Rodrigues 
Modafar negou, mas como recebeu várias oferendas de Afonso, ele decidiu enviá-lo um "agrado": um rinoceronte. Afonso olhou o bicho e viu que não era bom para ele e decidiu envia-lo de presente ao rei D. Manoel I, que acolheu o bichinho de braços abertos.

A chegada do rinoceronte a Lisboa causou um tremendo fuá, não só em Portugal mas na Europa toda e não foi a toa! Foi o primeiro rinoceronte vivo em solo europeu desde o século III! A aparência do animal causou muita curiosidade nas pessoas, que achavam que ele vestia uma armadura, por causa da sua pele espessa.

O rei então teve uma ideia estúpida, devida as suas lembranças das histórias romanas que diziam que um elefante não poderia ver um rinoceronte que eles partiam para briga, D. Manuel decidiu colocar os dois animais frente a frente.

O rei reuniu a galera da nobreza para ver o combate. Mas, assim que o elefante viu o rinoceronte, entrou em pânico e #partiualém! O rinoceronte não teve tempo de ver a cara do adversário.

Em 1515, o rei D. Manuel I, para garantir o apoio do Papa no sucesso dos navegadores portugueses e consolidar o prestigio internacional do reino, decidiu enviar o rinoceronte, usando uma coleira de veludo verde com rosas e cravos dourados (ele já era um rinoceronte, não precisava disso!!) como um dos presentes.

O navio que partiu de Lisboa acabou afundando e o rinoceronte, acorrentado, não conseguiu se salvar. D. Manuel recuperou seu corpo e ordenou que o rinoceronte fosse empalhado. O bicho fez tanto sucesso que ficou imortalizado em Portugal! É representado em uma das guaritas da Torre de Belém e também no Mosteiro de Alcobaça, onde você encontra o animal de corpo inteiro.

Foi também desenhado pelo artista alemão Albrecht Dürer, que se baseou na descrição em carta de um mercador português. 


Se a vaca é sagrada, qual é o problema de um rinoceronte ganhar tanto prestígio?

Um comentário:

  1. Hahahá, ficou totalmente despercebida na festa né Indiana?
    Nossa, coitado do rino da história gente!!!

    ResponderExcluir