1 de fevereiro de 2015

De Mochila pela Alemanha - parte I: Trier!

Março/2013

Cheguei em Trier no meio da tarde. Me hospedei no hostel Kolpinghaus Warsberger Hof, localizado no centro histórico da cidade.

Da estação de trem fui caminhando até lá. São aproximadamente quinze minutos de caminhada e você saberá quando chegar, porque a primeira coisa que você verá é a Porta Nigra, cartão postal da cidade.

Trier é uma cidade linda e a mais antiga da Alemanha. Foi fundada por romanos em XVI a.C, mais precisamente pelo imperador Augustos e levava o nome de “Augusta Treverorum”. Chegou a ser conhecida como “a segunda Roma”. Mas os romanos não foram os primeiros a chegarem, a cidade era ocupada por tribos celtas bem antes da sua invasão.

Augusta Treverorum serviu como capital de Roma por mais de 400 anos. A cidade passou por várias guerras entre França e Alemanha. Em 1794, como resultado das guerras napoleônicas, Trier passou a fazer parte da França. Mas em 1815, com a derrota dos franceses, Trier volta a ser território alemão.

A cidade comemorou seus 2000 aninhos, em 1984! Hoje ela tem 2031 anos! É uma velha bem charmosa. :)

Como cheguei no meio da tarde, depois de longas horas de viagens (voo mais ônibus), deixei para conhecer Trier no dia seguinte. Andei pela praça principal e voltei ao hostel.


No dia seguinte, com um mapa na mão, fiz um tour pela cidade. É uma cidade pequena e em um dia eu consegui visitar todos os pontos turísticos de meu interesse. A primeira parada foi a Porta Nigra.

Paguei 2,50 (preço para estudante) para visitar o local. Há outras opções, como a de assistir a uma apresentação teatral contando a história do lugar, mas o preço é outro. As informações podem ser adquiridas na entrada.

O nome Porta Nigra é por causa da cor escura dos blocos. O portão foi construído em 180 dC, para defesa da cidade de Trier. Toda a estrutura é feita de grandes blocos de arenito, presos por barras de ferro, sem argamassa.

Do lado de dentro, da parte mais alta das torres você consegue uma vista panorâmica bem legal da cidade histórica.
Andando sozinha por dentro da Porta Nigra, me encontrei com um cara na mesma situação. Pedi para ele tirar várias uma foto para mim e começamos a conversar até que ele me perguntou se eu era americana. Das duas uma: ou meu inglês é tão bom a ponto dele achar que eu sou americana ou ele achou que ali, naquela altura, seria um bom lugar para um canadense acabar um com americano! Zueiras a parte, o cara foi muito gente boa! :)

Guardei o mapa no bolso e me joguei pelas ruas da cidade. Comi o famoso “salsichommm” alemão, comi doces, caminhei um monte e perdi tudo isso eu comi! :P































Voltei para o hostel a noite, estava muito frio e no dia seguinte eu tinha que fazer o check out, pois iria me encontrar com um amigo na estação de trem para visitarmos a cidade de Cochem.





































Chocolatinho personalizado! Amei Trier e super recomendo!

Um BIG de um PS: Acabei me esquecendo de mencionar no post que Trier é a cidade natal do intelectual revolucionário Karl Marx! Tirei apenas uma foto do lado de fora, mas não entrei no museu.





-------------
Leita também:

4 comentários:

  1. Meu, você é muito viajadeira, te admiro demais! Nunca vi nenhum blog de viagem falar dessa cidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahahaha valeu!!! meu, ainda tenho muito post para escrever de cidades que vc vai amar!!! "Guenta" ai que logo saí! Bjoss

      Excluir
  2. Eu simplesmente amei este lugar...nossa, achei maravilhoso, adoro cidades antigas assim, nos remete estar num filme...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu adoro Lê! vc caminha por histórias, é fantástico!

      Excluir