14 de julho de 2011

De Mochila pela Escócia... sozinha!!

Conhecer a terra do William Wallace sempre foi um dos meus sonhos. Pelas fotos você tem uma ideia da beleza que a Escócia oferece, mas quando você chega lá, mesmo sobrevoando as suas terras, percebe que é muito mais do que você imaginou.

Meu voo foi para Glasgow, a maior cidade da Escócia. Desci no aeroporto de Prestwick, o menor aeroporto que já vi e pelo que percebi, só a Ryanair opera por lá.

Não há controle de imigração no aeroporto. Saí como uma boba atrás de um centro de informações, achando que tinha “furado o bloqueio”. Conversei com o centro de informações que confirmou a ausência do controle de imigração.

Todos os voos diretos da Irlanda não precisam desse controle. O chato foi que fiquei sem meu carimbo “Scotland” no passaporte... ¬¬

Ao lado do aeroporto fica a Prestwik Internacional Airport Station. O aeroporto e a estação estão ligados através de uma passarela. De lá fui até a Glasgow Central Station. Os tickets são vendidos dentro do trem.

Eu imaginei que entender um irish falando inglês fosse uma tarefa dura, mas depois de visitar a Escócia, percebi que entender um irish é fácil demais! Mas entender um scottish...

O senhor que entrou no trem para cobrar os tickets parou na minha frente e disse qualquer coisa indecifrável. Eu olhei para ele com cara de “ã?” e perguntei o valor do ticket. Ele resmungou novamente e eu entendia “apple” e pensava “o que a maçã tem com isso????”. 

Pedi para ele repetir e a maçã apareceu novamente no meio de um monte de palavras indecifráveis e ele começou a rir. Eu já estava desesperada com a salada de maçã quando ele falou pausadamente “three pounds and thirty-five pence "... ¬¬

Depois do episódio cômico dos tickets, entra um bêbado no trem. O cara começou a conversar com um italiano que estava sentado no banco a minha frente. Ele fez milhares de perguntas e depois começou a repeti-las. Detalhe: com uma garrafa de bebida na mão.

Cansado do italiano, ele começou a falar com um casal que estava sentado no banco ao lado do italiano. Pensei: ele virá encher meu saco. Deixei meus olhos mais ou menos fechados, para não perder os passos do cara e “dormi”.

E ele fazendo as mesmas perguntas para o italiano e para o casal até que eu ouvi um “psiuuuuu”. Sim, era para mim. Ai ele “Hey!! Hey!!! Humm...” o “hum” foi para mudar de idioma, ai ele começou a me chamar em francês!!! Só ouvi um “ela está dormindo mesmo”.

Indiana, marroquina, egípcia e agora francesa??? Eu jurava que estava escrito “Brasil” na minha testa...

O trem chegou na Glasgow Central Station em quarenta e cinco minutos. O Euro Hostel, onde me hospedei, fica a três minutos da estação.

O hostel é limpo e bem organizado. Na recepção eles me deram um mapa da cidade, mas achei melhor explora-la no dia seguinte.

Acordei cedo e com o mapa na mão e a mochila nas costas, saí pelas ruas de Glasgow. A cidade é grande, com prédios antigos, bonitos mas não me chamou muita atenção.

Andei pela praça principal, a George Square e fiz o City Sightseeing, aquele ônibus que roda pelos principais pontos turísticos da cidade.
 
 
Não achei tão interessante quanto imaginava ser, então não desci em nenhum dos pontos, ou seja, gastei dindim à toa. Mas eu prefiro me arrepender do que eu fiz do que morrer com a dúvida, então...

Depois do city tour, comi alguma coisa e fui para Buchanan Bus Station e segui viagem até Edimburgo.

Escolhi viajar de ônibus porque é mais barato do que o trem. Eu paguei £12,00 na passagem de ida e volta com o ônibus . Os tickets do trem custam £27,00 ida mais volta. Claro que as paisagens são mais interessantes viajando de trem, mas a minha opção era a economia!

Ao chegar a Edimburgo fiquei encantada com a arquitetura da cidade. É simplesmente fantástica! Mas quando o ônibus se aproximou do centro da cidade, foi o Edinburgh Castle que me deixou sem palavras.

Ver aquele castelo no meio da cidade, foi demais!

Fiz minha reserva no Art Roch Hostel. Da frente do hostel, a imagem do Edinburgh Castle.

Gostei muito da hospedagem. É um hostel bem alternativo, limpo, organizado, quartos grandes e fica na Old Town. Da para caminhar por toda a cidade somente com um mapa nas mãos, sem precisar de conduções.
Foto tirada em frente ao Hostel
Deixei as coisas no hostel e fui caminhar pelas ruas da Old Town. Eu precisava encontrar uma agência para pagar o Day Tour pelo Loch Ness.

Viajar sozinha é bom, mas tem o lance das fotos. Pedir para as pessoas tirarem uma foto para você é muito chato.

Algumas pessoas me viram tirando foto “by myself” e se ofereceram para me fotografar, aceitei logo de cara. Em outras situações, pedi para algumas pessoas me fotografar, mas o resultado foi mais ou menos assim:

Enfim, favor é favor e nada de reclamações! (saco!!)

Ainda bem que minha maquina tem LCD frontal, isso me ajudou muito com algumas fotos!

Passei por várias agencias e em nenhuma delas tinha vaga para o tour no Loch Ness. Fiquei super chateada porque esse era um dos meus objetivos na Escócia.

Uma agência me ofereceu a visita ao Loch Lomond. Não queria aceitar, mas como eles passavam por Stirling, no monumento erguido ao William Wallace, comprei o Day Tour!

Saí da agencia e continuei a caminhada pela Old Town.

Voltei para o hostel, tomei um banho e fui arrumar minhas coisas. Dividi o quarto com duas australianas, uma inglesa, duas americanas, uma chinesa que mora na Austrália, uma argentina e uma chinesa da China mesmo. Todas super legais.

A chinesa da China viu minha tattoo, que até então era japonesa e me disse que ela realmente significa Proteção, mas não é japonesa e nunca foi, é chinesa! Pelo menos o significado está correto!

A noite saí para comer alguma coisa. Na frente do hostel tem vários pubs e restaurantes, fiquei por ali mesmo. Voltei cedo para o hostel e fui dormir.

Acordei com um lindo dia lá fora. Arrumei minhas coisas e fui mais cedo para a agência, com a esperança de alguém desistir do tour pelo Loch Ness, mas foi em vão. Aguardei mais trinta minutos pelo meu tour.

Enquanto eu aguardava, conheci uma senhora da Suíça, muito simpática. Ela aguardava a mesma van que eu acabamos fazendo todo o passeio juntas.

Ao entrar na van nosso guia começou a falar. Foi preciso concentração para conseguir entender, mas me saí bem e nada de “apple”.

Mas entender escocês não foi difícil só para mim. O próprio guia, brincando nos perguntou. “Alguém entendeu as recomendações? Aliás, alguém conseguiu entender o que eu falei?”.

Saímos no horário combinado e a primeira parada foi no Wallace Monument.

Demais! O monumento fica na cidade de Stirling, próximo ao Stirling Castle, onde Wallace ganhou uma batalha contra os ingleses, chamada de “Batalha de Stirling Bridge” e também foi morada de vários reis e rainhas, como a Mary Stuart.

Uma pena não pararmos por lá, mas consegui um foto de loooonge.
O monumento ao Wallace é fantástico! Adorei, mas tínhamos apenas vinte minutos para visitá-lo. Não deu tempo de entrar na torre, até mesmo porque gastamos quinze minutos subindo até lá.

Mas é fantástico, adorei! FREEEEEEEEEEEEDOM!!
Depois da visita ao monumento, partimos para o Loch Lomond. Foi uma longa viagem.

O lago é gigante e interessante. Mas eu queria o Ness... enfim, como diria um garçom de boteco se ele estivesse por lá: “é o que temos para hoje.”

Fiz um pequeno cruzeiro pelo lago. Até que valeu a pena, paguei £7,50 por uma volta de quarenta minutos no lago.
Depois do lago, paramos na cidade de Aberfoyle para almoçarmos. Ficamos cerca de uma hora e seguimos viagem para o Doune Castle.

No caminho, paramos para uma rápida visita ao Loch Katrini, pequeno mas muito bonito.
O Doune Castle foi a nossa última parada. Achei incrível porque de todos os castelos que visitei, muitas partes em seu interior são interditadas para turístas. No Doune Castle, pude andar por quase 100% do castelo!

Depois da visita ao castelo, retornamos a Edimburgo. Como o dia estava maravilhoso, aproveitei que eu parei em uma das principais avenidas da Old Town, fui até o Calton Hill, um parque que fica bem acima da cidade. Quem sobe até lá tem uma visão privilegiada dela.
Voltei pelo West Princes Street Gardens, passando pelo Scott Monument e caminhando pelo parque até voltar para o hostel.
Como voltei tarde para o hostel, decidi ficar por lá mesmo. No dia seguinte eu acordaria cedo para fazer o check out e andar pela cidade com a minha mochila ainda mais pesada nas costas até o horário de retornar a Glasgow.

Acordei, tomei o café da manhã no hostel, fiz meu check out e saí.

Pensei em fazer o city sightseeing para saber se não deixe de conhecer algum lugar, mas escolhi o ônibus errado e passei por todos os lugares que conheci a pé.

Mas enfim, depois disso fui direto ao Edinburgh Castle. Deixei para visitá-lo por ultimo porque tinha certeza que eu ficaria horas lá dentro.
Na entrada do castelo, nada menos do que a estátua do Robert The Bruce (esquerdo) e do William Wallace (direito), demais!
Passando os portões, muita história.
Achei caro a entrada, foi £15,00, mas valeu a pena.
 



  
 
Em uma das torres, bonecos representavam todos os reis e rainhas da Escócia, entre eles Robert The Bruce e Mary Stuart
 
Na saída do castelo, um escocês incorporou o William Wallace do filme e fez sucesso com os turistas. Eu não perdi uma foto, claro!
Fiz uma pausa para um rango, andei pelos parques da cidade e voltei para Edinburgh Bus Station. Em uma hora estava de volta a Glasgow.

O trem atrasou cerca de meia hora para sair da Glasgow Central Station para a estação do aeroporto, ainda bem que cheguei mais cedo. Lá você precisa comprar os tickets antes de embarcar.

Eu tentei comprar nas maquinas para fugir das grandes filas. Quando eu escolhi o destino, me apareceu um valor de £9,50. Com certeza havia coisa errada, paguei £3,35 "apple" para chegar até lá, porque eu pagaria mais para voltar?

Depois entendi o tamanho da fila. A passagem para quem vai ficar no aeroporto é diferenciada e tem que ser comprada somente no guichê.

No caminho de volta ao aeroporto, consegui ver o mar! Na ida estava escuro e tive que “dormir” um bom tempo no trem até o bêbado descer.
Aguardei um tempinho no aeroporto, meu embarque era preferencial (porque paguei sem saber...) e pude escolher com tranquilidade a janelinha do avião para sentar.

Um céu lindo na volta em cima da Escócia, porque chegando na Irlanda...
Foi uma ótima viagem! Senti falta das meninas, mas sei que outras oportunidades aparecerão e vamos curtir uma aventura juntas.

Mais fotos no Picasa: https://picasaweb.google.com/vivianeerodrigues

Agora, é só planejar a próxima viagem: Inglaterra e País de Gales!

Beijos!

5 comentários:

  1. hahaha ri mto lendo esse post, apple! fala sério! se eles mesmo admitem q ninguem entende eles né! E o bêbado meu Deus sempre tem um desses bem onde vc queria paz né? De ver as fotos e o seu relato me apaixonei por esse lugar, espero msm q eu consiga visitar aí com vc, dessa vez, prometo fotos decentes!
    Vc pagou por embarque preferencial? Como é?? haha só vc msm Vi!
    Parabéns por mais uma conquista, não tem carimbo no passaporte, então cola a passagem nele =D
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Adorei Vivi... o lance das fotos é chatinho mesmo! Bjuuus

    ResponderExcluir
  3. kkkk, fico imaginando a sua cara de ãããã, kkk
    Caraca, agora posso dizer tb que tenho uma amiga que foi pra Escócia, hehe

    ResponderExcluir
  4. Ótimo teu relato. Morei no UK há alguns anos atrás e acabo de retornar de uma visita a Londres.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada!!! Tenho muitos posts para escrever ainda, só me falta tempo, hahaha

      Excluir