14 de julho de 2011

De Mochila pela Escócia... sozinha!!

Conhecer a terra do William Wallace sempre foi um dos meus sonhos. Pelas fotos você tem uma ideia da beleza que a Escócia oferece, mas quando você chega lá, mesmo sobrevoando as suas terras, percebe que é muito mais do que você imaginou.

Meu voo foi para Glasgow, a maior cidade da Escócia. Desci no aeroporto de Prestwick, o menor aeroporto que já vi e pelo que percebi, só a Ryanair opera por lá.

Não há controle de imigração no aeroporto. Saí como uma boba atrás de um centro de informações, achando que tinha “furado o bloqueio”. Conversei com o centro de informações que confirmou a ausência do controle de imigração.

Todos os voos diretos da Irlanda não precisam desse controle. O chato foi que fiquei sem meu carimbo “Scotland” no passaporte... ¬¬

Ao lado do aeroporto fica a Prestwik Internacional Airport Station. O aeroporto e a estação estão ligados através de uma passarela. De lá fui até a Glasgow Central Station. Os tickets são vendidos dentro do trem.

Eu imaginei que entender um irish falando inglês fosse uma tarefa dura, mas depois de visitar a Escócia, percebi que entender um irish é fácil demais! Mas entender um scottish...

O senhor que entrou no trem para cobrar os tickets parou na minha frente e disse qualquer coisa indecifrável. Eu olhei para ele com cara de “ã?” e perguntei o valor do ticket. Ele resmungou novamente e eu entendia “apple” e pensava “o que a maçã tem com isso????”. 

Pedi para ele repetir e a maçã apareceu novamente no meio de um monte de palavras indecifráveis e ele começou a rir. Eu já estava desesperada com a salada de maçã quando ele falou pausadamente “three pounds and thirty-five pence "... ¬¬

1 de julho de 2011

Cinco meses depois...

Uau! Cinco meses se passaram e...

- Agora virou festa me confundir com egípcia ou indiana. Sempre ouço "Brasil? Pensei que você fosse da Índia!" ou "Você fala árabe?" Cada uma que me acontece...

- Não fiz o último teste de nível na escola. Achei melhor continuar no mesmo por mais um tempinho, passar para o avançado agora não seria bom para mim, não me sinto 100% ainda.

- Pode parecer brincadeira, atravessar a rua ainda é um problema para mim. Mas acredito que mais cinco meses eu me acostumo.

- Minha supervisora no trabalho disse que eu tenho um inglês muito bom. Fiquei feliz, receber um elogio vindo de um nativo, ainda mais dessa supervisora que é "super legal"... Agradeço aos meus amigos de outras nacionalidades,  aos bons professores que eu tive até agora e aos meus amigos brasileiros também, que me ajudam em várias dúvidas!

Uma dica para quem deixa o Brasil para estudar inglês em outro país: não tenha medo de falar e errar, realmente é assim que aprendemos.